terça-feira, 3 de junho de 2014

Trincheiras Santa Rosa e Jurumirim não ficarão prontas até a Copa

Da Redação - Wesley Santiago

 Os deputados da Comissão de Infraestrutura Urbana e Transportes (CIUT) realizaram na manhã desta terça-feira (03), mais uma vistoria em obras da Copa do Mundo. Os alvos da vez foram as trincheiras Santa Rosa e Jurumirim. As duas obras não ficarão 100% prontas até o início do Mundial – na próxima semana. Segundo a comissão quase todas intervenções preocupam.

Veja mais:
Trincheiras Jurumirim e Santa Rosa voltam à mira dos deputados
A 10 dias da abertura da Copa, Cuiabá corre contra o relógio; veja panorama

Segundo a Secretaria Extraordinária da Copa do Mundo, a trincheira Santa Rosa deve ter as vias marginais liberadas, melhorando assim o acesso à avenida Miguel Sutil. A drenagem já foi concluída no local e agora vem a parte de asfalto. Os problemas que o consórcio teve com a CAB Cuiabá também já foram sanados e a obra segue correndo contra o tempo.

“Infelizmente o problema com a CAB atrasou os trabalhos aqui na trincheira do Santa Rosa. Caso isso não tivesse acontecido, o local já estaria entregue”, afirmou o deputado estadual Pedro Satélite (PSD). Ele ainda acrescentou que a maioria das obras preocupam a comissão que seguirá fazendo este trabalho de fiscalização.



 Os deputados da Comissão de Infraestrutura Urbana e Transportes (CIUT) realizaram na manhã desta terça-feira (03), mais uma vistoria em obras da Copa do Mundo. Os alvos da vez foram as trincheiras Santa Rosa e Jurumirim. As duas obras não ficarão 100% prontas até o início do Mundial – na próxima semana. Segundo a comissão quase todas intervenções preocupam.

Veja mais:
Trincheiras Jurumirim e Santa Rosa voltam à mira dos deputados
A 10 dias da abertura da Copa, Cuiabá corre contra o relógio; veja panorama

Segundo a Secretaria Extraordinária da Copa do Mundo, a trincheira Santa Rosa deve ter as vias marginais liberadas, melhorando assim o acesso à avenida Miguel Sutil. A drenagem já foi concluída no local e agora vem a parte de asfalto. Os problemas que o consórcio teve com a CAB Cuiabá também já foram sanados e a obra segue correndo contra o tempo.

“Infelizmente o problema com a CAB atrasou os trabalhos aqui na trincheira do Santa Rosa. Caso isso não tivesse acontecido, o local já estaria entregue”, afirmou o deputado estadual Pedro Satélite (PSD). Ele ainda acrescentou que a maioria das obras preocupam a comissão que seguirá fazendo este trabalho de fiscalização.


O consórcio também pede ajuda aos céus para que a chuva não atrapalhe o andamento das obras. Vale lembrar que um dia de chuva intensa acaba comprometendo quase três dias de trabalho, por ser impossível avançar com os serviços no solo. 

Na trincheira Jurumirim o consórcio Sobelltar também enfrenta algumas dificuldades. Uma delas é um local que ainda não foi desapropriado e que faz parte da trincheira. Outro problema é um vazamento de esgoto que se não for resolvido poderá empacar a intervenção.

O trecho entre as rotatórias da Jurumirim e dos Trabalhadores também deverá ser liberado na próxima semana, antes do início do Mundial de 2014. Porém, assim como no Santa Rosa, apenas vias marginais. Ainda não se sabe se serão as duas, ou de apenas um dos lados. Não há tempo hábil para liberar toda a avenida Miguel Sutil para trânsito.

Segundo o responsável pelo Consórcio Sobelltar, Luiz Melo, caso o problema com a desapropriação seja sanado rapidamente, até o final de julho a obra poderá ser entregue para a população. A obra segundo ele está com 92% de conclusão: “O nosso maior problema aqui foram as chuvas”, argumentou Luiz.

Uma das preocupações é quanto as infiltrações que acometem as obras, tanto do Santa Rosa como da Jurumirim: “A questão da drenagem nos preocupa. Nós não queremos que acontece algo semelhante ao que houve na Ciríaco Cândia”, explicou o deputado Sebastião Rezende (PR). Na ‘Trincheirona’ será necessário um corretivo no projeto para acabar com o problema.


“A comissão tem acompanhado de perto todas as obras. Nós estamos atentos a todos os problemas e trabalhamos junto com o Crea/MT (Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Mato Grosso) para dar uma maior agilidade no processo. Após a Copa do Mundo nós continuaremos este serviço”, finalizou o Rezende. As obras não devem parar por conta do Mundial de 2014.

FONTE: Olhar Direto